O novo prazo é dia 31 de julho. A inscrição é gratuita

Sebrae Mulher de Negócios 2022

As empreendedoras capixabas que desejam participar do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios ganharam mais alguns dias para se inscreverem. O novo prazo é o dia 31 de julho. As inscrições são gratuitas e basta acessar o endereço eletrônico da premiação (https://bit.ly/premiomulherdenegocio2022) e preencher o formulário eletrônico completamente, bem como enviar o link para o vídeo com pitch (apresentação rápida) da empreendedora candidata.

 

O Prêmio está de volta, depois de cinco anos sem realização, e pretende nesta edição premiar mulheres empreendedoras com negócios de destaque para o empreendedorismo em diversos segmentos.

 

Podem participar mulheres maiores de 18 anos, proprietárias de pequenos negócios, microempresas ou microempreendedoras individuais (MEI) com CNPJ e produtoras rurais que possuam inscrição estadual de produtor, número do Imóvel Rural na Receita Federal (NIRF) ou declaração de aptidão (DAP) ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) ou que explorem atividade pesqueira e possuam registro no Ministério da Pesca.

 

A premiação, cuja última edição foi realizada em 2017, nasceu para estimular o empreendedorismo feminino ao reconhecer histórias inspiradoras de empresas lideradas por mulheres de todos os cantos do país.

 

Para a analista do Sebrae/ES, Andrea Gama, “o retorno desta premiação chega em um momento importante, onde cada vez mais as mulheres têm conquistado espaços e se empoderado através do empreendedorismo. Sempre é bom falar sobre a importância da mulher inspirar outras mulheres com suas histórias, ser exemplo para outras. É principalmente sobre isso o prêmio, para que as mulheres sintam que é possível, que outras conseguiram. O nosso objetivo é incentivar e estimular tanto empreendedoras quanto mulheres que desejam empreender, a darem continuidade aos seus sonhos”, destaca.

 

Para ajudar as empreendedoras, o Sebrae preparou um tutorial detalhando dicas de como produzir o vídeo, que visa aproximar as mulheres e mostrar mais sobre a dinâmica do negócio candidato. Confira no link: https://youtu.be/O-bZg-TxmQ0.

 

Categorias e etapas

 

Este ano, as participantes podem concorrer em três categorias: Microempreendedora Individual (MEI), Pequeno Negócio e Produtora Rural. A premiação será dividida em três etapas, com fases estadual e regional que acontecem entre agosto e outubro. Já a nacional deve acontecer em novembro, quando se comemora o Dia Mundial do Empreendedorismo Feminino. A cerimônia da grande final será realizada, presencialmente, em Brasília (DF). O Sebrae pagará as despesas de deslocamento para as finalistas.

 

Na primeira etapa, estadual, serão escolhidas até três candidatas de cada unidade federativa, em cada uma das categorias. As candidatas vencedoras da fase estadual serão avaliadas por um Júri Regional, formado por colaboradores do Sebrae e especialistas em empreendedorismo e pequenos negócios. A etapa regional será eliminatória para a fase nacional e não prevê premiação ou divulgação. Por fim, a etapa nacional terá a participação das 15 vencedoras regionais, correspondentes a três vencedoras por categoria para cada uma das cinco regiões do país, que estarão automaticamente classificadas para a grande final da premiação.

 

Premiação

Além dos troféus, as vencedoras da etapa nacional nos primeiro e segundo lugares de cada categoria vão ganhar um smartphone de última geração. O terceiro lugar de cada categoria receberá um tablet também do modelo mais recente. Todas as nove ganhadoras nacionais vão participar de uma missão técnica nacional de capacitação, com passagens e diárias custeadas pelo Sebrae. O primeiro lugar de cada categoria também terá uma vaga no Empretec e ao segundo lugar de cada categoria ficará reservada uma vaga para participar do UP Digital de aceleração digital dos negócios.

 

Entre os critérios de julgamento das participantes estão aspectos relacionados à gestão do negócio como marketing e vendas, finanças, inovação, estratégia, entre outros. A análise do relato da história também vai considerar os desafios para abrir o empreendimento, participação ativa nos negócios, perseverança e superação, preocupação com a preservação do meio ambiente e cultura da sua região, lições aprendidas, contribuição para o desenvolvimento de outras empreendedoras da sua comunidade, entre outros pontos. Todos os detalhes do julgamento e da avaliação das inscrições estão informados no regulamento do Prêmio.

 

O que dizem as ganhadoras?

 

Ana Cristina Mendes, CEO da Ready Personal Trainer, em Tubarão (SC), foi vencedora da edição de 2017 na categoria MEI. “Participar de todo o processo e ser a vencedora é como um selo de qualidade ao meu trabalho. Aprendi muito porque passamos pelas etapas estaduais, depois regionais e finalmente a nacional. Recebemos a visita de um consultor do Sebrae para verificação das informações e isso também nos ajuda a ter um olhar de um especialista de fora que nos mostra caminhos e oportunidades”, conta.

 

Formada em Educação Física em 2006, a empresária atuava como personal trainer quando sentiu a necessidade de buscar crescer na carreira por meio do empreendedorismo. Há três anos, ela abriu um estúdio em sociedade com a irmã. “Colocamos toda nossa energia nesse negócio e eu disse para mim mesma que não poderia dar errado. Assumimos a responsabilidade pelo nosso sucesso e mesmo com apoio, nós sabíamos desde o início que teríamos que gerenciar tudo isso”, ressalta.

 

Mesmo diante das dificuldades e muitas vezes do descrédito de pessoas próximas, as empreendedoras vencedoras do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios são exemplos de superação e dedicação. A trajetória da ex-faxineira Maria José Lima, que se tornou uma empreendedora bem-sucedida no ramo de doces artesanais, é mais uma história inspiradora e vencedora da premiação. Ela ganhou o Prêmio em 2012, mas antes disso fez vários cursos no Sebrae, inclusive o Empretec. “Eu aprendi tudo com o Sebrae e cheguei a me inscrever cinco vezes no Prêmio para finalmente ser vencedora. Esse reconhecimento chegou na hora que eu estava pedindo falência e realmente foi um momento transformador para o meu negócio”, revela.

 

Em outra cidade de Minas Gerais, a empresária Marisa Contreras encarou o desafio de largar a vida de farmacêutica há 23 anos para se tornar produtora de café especial. Com uma carreira estabelecida e dona de quatro farmácias, ela decidiu trilhar um novo caminho ao ajudar o marido na fazenda Capoeira Coffee em Areados (MG). “Quando eu cheguei na fazenda, eu tive que literalmente trocar o salto alto pelas botinas. Percebi que os resultados precisavam melhorar e isso só seria possível com a produção de cafés melhores. No começo, ninguém acreditava na minha ideia, mas aos poucos eu fui mudando a mentalidade de todos e resolvi liderar pelo exemplo”, destaca.

 

Ela também foi vencedora da última edição, em 2017, na categoria Produtora Rural e considera a participação como um reconhecimento de uma jornada transformadora. “Eu fiquei muito feliz por todo o caminho percorrido e não apenas por chegar aonde eu cheguei. Seguramente não foi um caminho fácil, mas era o que me levaria a outros níveis. Minha maior conquista tem sido fazer a diferença na vida de outras mulheres produtoras de café como eu”, resume.


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

Anuncio !!

Anuncio !!