Ex-secretário de Saúde de Marilândia se defende de acusações. “Na verdade, tudo aconteceu de forma bem diferente”, diz Partelli


Nesta terça-feira (14), o ex-secretário de saúde de Marilândia, Beto Partelli, fez um pronunciamento ao vivo em sua rede social, para se defender dos ataques que estão sendo feitos contra a pessoa dele, em relação à denúncia feita por uma funcionária efetiva da Prefeitura de Marilândia, onde a mesma alegou que Partelli a ameaçou.

Na live, Beto Partelli, iniciou a sua fala dizendo que não entrou na política para ter poder, mas para poder fazer e talvez isso incomoda aqueles políticos, que muitas vezes, insistem com as velhas práticas.

“Fiquei dois anos à frente da Câmara Municipal, como vereador e vice- presidente da casa fizemos a maior economia já vista, com seriedade no trato do dinheiro público, mostramos que é possível”, disse Beto Partelli.

“Depois, resolvi me licenciar do cargo de vereador e assumir este grande desafio que é a Secretaria de Saúde. Lá elevei a saúde de Marilândia a ser reconhecida em todo Estado. Reativamos o aparelho de Raio X, implantamos o aparelho de Ultra-som, reformamos o Pronto Atendimento, tornamos a Saúde Digital, buscamos e deixamos tudo pronto para a implantação do SAMU, além de outras conquistas, acabamos com as filas na saúde. Evoluímos muito, talvez isso incomoda aqueles que não tem capacidade para fazer melhor”, alfineta o ex-secretário.

Partelli disse que não entende, porque tanta insistência em tentar denegrir seu nome, ele disse que sempre se colocou à disposição para qualquer esclarecimento, e que torce muito para que a cidade siga para o melhor caminho.

SOBRE A DENÚNCIA

Com relação a reportagem feita, onde uma funcionária pública foi a Delegacia e fez um Boletim contra ele, alegando que ele tentou tomar o livro de protocolo da mão dela e que agiu com agressividade e desrespeito, inicialmente diz que ficou surpreso, mas depois como está acostumado com estes ataques e ao ver seu nome ser usado na câmara de vereadores, foi até a Delegacia.

Partelli, que também é advogado, fez a cópia do boletim e dos documentos que estavam lá como as imagens, disse que está aguardando ser intimado para apresentar sua versão, que é totalmente diferente da apresentada pela funcionária, que é efetiva na Prefeitura de Marilândia e disse mais: “espero que ela prove o que está denunciando, o que eu acho difícil, pois eu irei provar que ela está mentindo, não sei se influenciada por alguém, não sei qual a intenção dela, pois nunca tive qualquer desavença com a funcionária e sempre a tratei com respeito.”

Ele também disse, que esta narrativa de que ele tentou tomar o livro de protocolo da mão da funcionária, é fantasiosa, pois quem conhece o protocolo da Prefeitura sabe que é impossível, não existe como isto acontecer pela estrutura física do local.

“Presenciei na verdade uma situação muito estranha, um espaço reservado à lápis no livro de protocolo, foi quando cobrei da funcionária explicação, pois mesmo não sendo mais vereador, sou um cidadão. Afirma Partelli.

“Sendo assim, não fui eu quem cometeu crime de desacato, se aconteceu um crime ali, tenho certeza que não fui eu quem cometi. Acho que tem de dar explicação, seriam os responsáveis pela transparência nos atos públicos.”

Com relação ao fato, segundo Partelli, do Livro de Protocolo da Prefeitura de Marilândia estar sendo usado de maneira que não condiz com os preceitos da administração pública, ele disse que relatou o fato ao Controlador Geral do Município, à Secretaria de Administração e ao Prefeito.


“Fiz minha parte como cidadão, estou tranquilo e tenho certeza que a verdade prevalecerá, agora se a funcionária agiu por conta própria ela que assuma as consequências”. finaliza.


RELEMBRE A POLÊMICA.

Uma polêmica está ocorrendo na cidade de Marilândia, envolvendo o ex-secretário de saúde do município, Beto Parteli, e uma funcionária da Prefeitura de Marilândia. A confusão foi tanta que acabou em denúncia no Departamento de Polícia da cidade.

Segundo informações, uma funcionária, conhecida como Carminha Valles, que trabalha no setor de protocolo da administração, revelou às autoridades policiais que o ex-secretário de saúde, Beto Parteli, foi ao seu local de trabalho e, no momento em que a funcionária estava protocolando um documento para o ex-secretário, o mesmo tentou pegar o livro de protocolo, pela janela, das mãos da funcionária.

Ainda segundo o boletim de ocorrência, a funcionária disse às autoridades policiais que, em tom de ameaça, ele perguntou à funcionária se tinha certeza de que não iria entregar o livro para ele. Insatisfeito, segundo a funcionária, Roberto Carlos Parteli tirou várias fotos de dentro do recinto de trabalho da funcionária, posicionando o celular pela janela do local localizado no prédio da Prefeitura de Marilândia.

Na última sessão da Câmara de Vereadores de Marilândia, o vereador Adilson Reggiani narrou o fato, acusando Beto Parteli de achar que a funcionária seria subordinada a ele: “quase todos os funcionários eram subordinados ao mesmo (no período que Partelli esteve a frente da secretaria da saúde), temos servidores e vereadores que já foram servidores, que já reclamaram comigo, que ele metia o bico lá e gostaria de mandar”, afirma o vereador

Segundo Reggiani, o ex-secretário de saúde humilhou tanto a funcionária que foi necessário chamar a polícia no local e fazer uma ocorrência contra Beto Parteli.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem