Representantes das Sociedades de Pediatria e Infectologia do Espírito Santo e pais de alunos se reuniram com promotores do Ministério Público do Estado (MPES), de forma virtual, para discutir protocolos sanitários necessários para possibilitar o retorno das presenciais nas escolas púbicas e privadas situadas em cidades classificadas nos riscos baixo, moderado e alto de transmissão do novo coronavírus.

De acordo com o órgão ministerial, o objetivo é desenvolver regras que tornem a escola um espaço seguro para crianças e adolescentes, professores e funcionários.

O MPES informou que se reuniu com os médicos, na terça-feira (4). Durante o encontro, os especialistas esclareceram vários pontos abordados, dentre eles: o uso dos equipamentos de proteção individual (EPIs) adequados; a necessidade da caderneta de vacinação da criança estar em dia; a vacinação contra a Covid-19 dos grupos prioritários em andamento, principalmente das pessoas com comorbidades; o distanciamento entre as crianças durante as atividades físicas e na hora do recreio, e dos educadores na hora do café; a utilização de ambientes abertos e arejados.

"Também se discutiu como manter as aulas presenciais, mesmo diante da possibilidade de recrudescimento dos casos de contaminação, da taxa de ocupação de leitos e das mortes por Covid-19", informou o ministério público.

Nesta quarta-feira (5), foi a vez de conversar com os pais dos alunos para a discussão de medidas para o retorno das aulas presenciais.

O encontro teve a participação de representantes da Associação de Pais de Alunos do Estado do Espírito Santo (Assopaes), da Associação de Pais Pela Educação do Espírito Santo, da Associação de Pais de Escolas Particulares do Espírito Santo (Apepes) e do Grupo de Apoio Força Azul.

Nesta quinta (6), a agenda é com representantes do Sindicato das Empresas Particulares de Ensino do Espírito Santo (Sinepe/ES).

Ao longo desta semana, o MPES realizará reuniões também com especialistas da área de Educação, representantes dos professores para que todos tenham oportunidade de contribuir.

O objetivo, segundo o MPES, é que, com a reabertura das escolas e o retorno das atividades presenciais, todos estejam cientes das medidas a serem observadas e preparados para garantir o cumprimento dos protocolos sanitários discutidos e acordados. Ao final, a proposta é uma assinatura de um pacto envolvendo todos os segmentos.

Notificação

O Ministério Público do Espírito Santo (MPES), por meio da Promotoria de Justiça Cível de Vitoria, notificou a Associação dos Municípios do Espírito Santo (Amunes) para que as 22 cidades capixabas classificadas no risco moderado de transmissão da Covid-19 adotem todas as medidas necessárias para o retorno imediato das atividades presenciais nos estabelecimentos de ensino da rede pública.

A notificação é destinada às cidades de Alto Rio Novo, Baixo Guandu, Bom Jesus do Norte, Brejetuba, Conceição do Castelo, Divino de São Lourenço, Dores do Rio Preto, Governador Lindenberg, Iconha, Itaguaçu, Itarana, Jaguaré, Laranja da Terra, Marilândia, Mucurici, Ponto Belo, Rio Bananal, Santa Leopoldina, São Domingos do Norte, Venda Nova do Imigrante, Vila Pavão e Vila Valério.

Essas 22 cidades, totalizam 36.420 estudantes matriculados na rede municipal, o que representa cerca de 7% dos alunos dessa rede de ensino no Estado, conforme o Censo Escolar 2020.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem