Pesquisa se baseou em uma estimativa dos números de casos de três semanas posteriores à pandemia

Ao menos 875 mortes pela Covid-19 e 41.646 casos da doença puderam ser evitados após a quarentena no Espírito Santo, de acordo com um estudo realizado pelo Núcleo Interinstitucional de Estudos Epidemiológicos (NIEE), coordenado pelo Instituto Jones dos Santos Neves, do Governo do Estado. O estudo foi divulgado nesta quinta-feira (29).

A pesquisa se baseou em uma estimativa dos números de casos de três semanas posteriores à pandemia, entre 28 de março e 17 de abril, subtraídos pela quantidade de pessoas que de fato se contaminaram nesse período. Com o resultado, foi possível chegar ao total de casos que puderam não ser registrados.

Para encontrar o número de mortes evitadas, os pesquisadores aplicaram a taxa de letalidade do período, que foi de 2,1%, em cima do número de casos evitados.

De acordo com a projeção, a quarentena e as medidas restritivas provavelmente ocasionaram que vidas capixabas fossem poupadas e menos pessoas fossem contaminadas com o novo coronavírus.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem